Casamento em Perigo — Miranda Lee


Casamento em Perigo (Marriage in Peril) — Julia 1118

Personagens: Leonardo Giuseppe “Leo” Parini e Brooke Parini

A batalha para salvar o casamento começou... No quarto!

Brooke estava feliz, casada com o rico italiano Leonardo Parini... Até ouvir acidentalmente uma conversa que sugeria que Léo já fora perdidamente apaixonado pela esposa do irmão. Brooke não queria acreditar que seu marido maravilhoso fosse infiel, mas logo teve a dolorosa confirmação de que ele estava visitando a cunhada em segredo.
Deveria Brooke revelar a Léo o que sabia? Uma coisa era certa: o marido ainda a desejava, como nunca, o que lhe dava esperança de salvar seu casamento. Lutaria pelo homem que amava, não o aborrecendo com cenas de ciúme, mas fazendo tudo o que pudesse para seduzi-lo...

Aos vinte e um anos, Brooke se encontra casada com o italiano Leonardo Parini dias depois de conhecê-lo... Pois estava grávida. Contra todo o pragmatismo da mãe, Brooke e Leo são felizes juntos. Por cinco anos.

Durante uma visita à Itália depois da morte do irmão de Leo, Brooke escuta os sogros comentando da antiga paixão de Leo por Francesca, a cunhada que o rejeitou para ficar com o irmão mais velho, e o fato de ele não estar no escritório, mas provavelmente com a viúva de Lorenzo. Brooke se desespera, pega o carro, e dirige até Milão. Ao parar no prédio de Francesca, vê o carro de Léo estacionado.

Depois de uma noite de sexo selvagem na qual Brooke espera provar o quanto era boa amante, ambos retornam com os filhos para a Austrália, mas Brooke estava mudada — mais estressada e menos submissa... Léo estava ficando desesperado e insistente, então Brooke decide confiar o problema a mãe.

Exceto que, depois de conversar com a mulher amargurada que se divorciara duas vezes, Brooke percebe que estava sendo injusta. Mas então, por que Léo parecia tão culpado?

Minha opinião:

Casamento em Perigo é, à primeira vista, o tipo de livro que não deve passar de bobagem. E de certa forma, a falta — ou falha — de comunicação entre Brooke e Léo deixa o leitor mais otimista zangado. É óbvio que os dois se amam muito, mas os “modos italianos” de Léo — o chauvinismo, o autoritarismo, a mania de querer ser obedecido como um marido da Idade Média — e o comportamento inseguro e indeciso de Brooke mudaram aquele amor de alguma forma.

Apesar dos defeitos citados, Léo não é um cafajeste; pelo contrário, ele é um dos mocinhos mais decentes que Miranda Lee já criou. Aliás, ele é um dos italianos mais decentes a ter pisado na Terra Literária. Ele só não sabe ainda que o mundo não gira ao redor dele.

Brooke também tem defeitos, mas adorei que, mesmo insegura, ela tenha confiado em Léo — desconfiando. Isso mostrou que ainda havia respeito entre os dois — e respeito entre eles e outros personagens, porque há segredos que interferem na vida de ambos que eles não podem contar, pois não pertencem a eles.

Então, o livro que começa como uma leitura despretensiosa se mostra melhor que alguns best-sellers de centenas e centenas de páginas. É impossível não torcer para que Brooke e Léo resolvam os problemas e sejam felizes, ainda mais depois da comemoração de cinco anos de aniversário de casamento dos dois.

2 Comentários
  • Oi Cunhada!

    Gostei da dica, e confesso que ainda não li esse da Miranda Lee. Anotado para próximas aquisições!

    bjos
    Mara

  • Cunhada, sério? Pode ler sim, é muito bom! E a melhor parte é que não faz parte de série nenhuma.

    Bjos

  • Comente!