O Senhor do Destino — Lindsay McKenna


O Senhor do Destino (Lord of Shadowhawk) — Clássico Histórico 17

1º livro da série Trayhern

Personagens: Tristan “Tray” Trayhern & Alyssa Kyle

Apaixonado por uma criminosa!

Lorde Tristan Trayhern já estava acostumado com a crueldade dos soldados ingleses. Mesmo assim, ao encontrar Alyssa Kyle, mais morta que viva, a bordo de um navio prisão, o nobre galês ficou indignado. Com certeza, a linda jovem de olhos verdes, que ficara cega durante o cativeiro, era uma vítima inocente da recém-eclodida rebelião irlandesa. E Tristan jurou protegê-la.

O carinho de Tristan despertou Alyssa de seu pesadelo de trevas.
Contudo, embora o conforto e a segurança de Shadowhawk — a mansão da família do lorde,no litoral do País de Gales — aplacasse seus medos, ela sabia que estava desafiando a sorte ao enganar o nobre galês. Alyssa não era uma inocente vítima das circunstâncias, e sim uma inimiga da coroa inglesa!

A família de Alyssa Kyle lutava pela liberdade da Irlanda e, por isso, todos foram caçados e aprisionados por oficiais ingleses. Durante uma sessão de tortura, Alyssa é violentada e espancada, e estava prestes a ser jogada em meio aos mortos quando o irmão do capitão do navio aparece para buscar um novo criado.

Ao ver o menino irlandês assustado pelo destino da prima e pelo próprio, Tray Trayhern não tem dúvidas: leva os dois para sua casa, torcendo para Alyssa se recuperar. Exceto que ela acorda cega e com medo de homens. Mas, a bondade e o carinho de Tray aos poucos vão conquistando o coração dela, e a inteligência de Alyssa, o dele.

Então, Tray a pede em casamento. Quando Alyssa descobre que está grávida, a felicidade dos dois é ameaçada: quem seria o pai do bebê — Tray ou o homem que a violentou?

Minha opinião:

A-I-Q-U-E-L-I-N-D-O! Sou apaixonada por esse livro! Seria muito bom se a Harlequin fosse legal e relançasse, na íntegra, com uma capa legal. É um daqueles não dou, não empresto, não vendo e não deixo ninguém chegar perto.

Tray é de uma doçura que só. Não há palavras suficientes para dizer o quanto o moço é TDB, então lá vai uma citação que acho que resume tudo:

Sinto muito pelo que aconteceu, pequenina. Quando penso que a violentaram, fico com vergonha de ser homem. Mas pode acreditar em mim, doce Aly, nem todos os homens são iguais. E eu farei o impossível para lhe provar isso.

Sim, Tray é perfeito! O genro que mamãe pediu a Deus. Pena que ninguém na família dele veja seu valor, ninguém além da mãe adotiva. A mãe biológica de Tray morreu no parto, Tray nasceu com um pé torto e, como resultado, foi rejeitado pelo pai. Isso o marcou muito, tanto que ele pediu para deixar de ser chamado pelo nome de batismo, mas por Tray. Ele foi casado, a esposa também morreu no parto, assim como o filho, que tinha um pé torto. Então, a autoestima do rapaz era mais baixa que baixa. Felizmente, Alyssa não concorda com essas bobagens e não se cansa de repetir que Tray era perfeito.

Alyssa também é ótima. Ela tem traumas, tem problemas, é inocente, mas não passa uma ideia de ignorância nem de estupidez. Ela não é pentelha como a maioria seria no caso dela. Em vez disso, ela só vai vivendo, porque Tray não deixaria que ela morresse.

O irmão de Tray é um dos vilões mais nojentos que já vi! Merecia o final que teve. Os irmãos de Alyssa, Devlin e Gavin, são dois cabeças-duras. Aliás, Devlin é o protagonista do próximo livro. Que não foi lançado aqui.

Bem, assim mesmo, vale a pena agarrar e não soltar mais quando vir esse livro no sebo!

2 Comentários
  • Cunhada!

    Esse livro li somente por causa dos seus elogios... e admito que não me decepcionei, é um dos livros mais belos que já tive o prazer de ler... pena que não guardei a resenha dele... sniff

    bjos
    Mara

  • Cunhada!

    Que bom que gostou da recomendação! Realmente, não se fazem mais livros como antes. *chora* E falando em resenha, eu adoraria ler a sua... namora a ideia de ler o livro de novo... pleeeeeeease? kkkkkkkkkkk

    Bjos

  • Comente!